Novos cultivares de maçã ampliam período de colheita

Cultivar Luiza se adapta a regiões menos frias e produz frutos doces (Fotos: Aires Mariga/Epagri)

A Epagri lançou três cultivares de maçã que buscam, principalmente, dar ao produtor opções de ampliar o período de colheita. Os cultivares foram desenvolvidos pela Estação Experimental da Epagri em Caçador e lançados durante o XIV Encontro Nacional sobre Fruticultura de Clima Temperado (Enfrute), realizado em julho na cidade de Fraiburgo, SC. “Além de proporcionar melhor escalonamento da produção, as novas variedades também vão permitir a oferta de maçãs mais frescas ao consumidor durante boa parte do ano”, explica o diretor de Pesquisa da Epagri, Luiz Antônio Palladini.

O cultivar SCS425 Luiza apresenta potencial de exploração com rentabilidade econômica no Meio-Oeste e no Planalto Norte de Santa Catarina, pois se adapta bem em regiões menos frias. É uma planta que resiste à mancha foliar da glomerela (MFG) e tem boa tolerância à podridão amarga e ao oídio, com alto potencial produtivo e custo de produção reduzido. Os frutos têm coloração vermelho-escarlate bastante atrativa, polpa muito crocante e suculenta, de fácil mastigação. As maçãs Luiza têm alto teor de açúcares e baixa acidez, além de sabor doce, adequado à preferência do consumidor brasileiro.

Venice tem época de maturação entre os tradicionais cultivares Gala e Fuji

Já o cultivar SCS426 Venice tem época de maturação entre os tradicionais cultivares Gala e Fuji, sendo assim uma boa opção para gerenciar o escalonamento da colheita no sul do Brasil e otimizar o uso da escassa mão de obra disponível. Sua alta capacidade de armazenagem é outra vantagem, pois permite disponibilizar aos consumidores frutas de alta qualidade durante a entressafra. Produz frutas vermelho-carmim, doces, firmes, crocantes e muito suculentas.

O terceiro cultivar lançado pela Epagri, o SCS427 Elenise, tem como uma das principais vantagens a época de maturação, bastante tardia, ocorrendo até um mês após o ‘Fuji’. Torna-se assim uma opção promissora para a ampliação da janela de colheitas de maçãs no Brasil até o mês de maio. Sua alta capacidade de conservação permite armazenamento em câmaras frias por oito meses ou mais, sem perda significativa de sabor e firmeza, o que resulta na oferta de produtos de qualidade ao consumidor ao longo de todo o ano. As frutas são grandes, de cor vermelha intensa, muito crocantes, suculentas e um pouco mais ácidas que o ‘Gala’.

Maturação tardia é uma das principais vantagens do ‘Elenise’

Novos cultivares são gerados a partir do cruzamento controlado de espécies já existentes. A Epagri vem trabalhando desde o ano 2000 no desenvolvimento dessas três novas variedades de maçã, cujas mudas estarão em breve disponíveis para os produtores rurais.

(Publicado em Vol. 29, nº1, jan./abr. 2016)