Epagri lança feijão carioca de alto potencial produtivo

SCS205 Riqueza tem teor de proteína de 24,2% e tempo médio de cozimento de 21 minutos (Fotos: Cepaf/Epagri)

A Epagri acaba de lançar o SCS205 Riqueza, um cultivar de feijão carioca de alto potencial produtivo e com grãos maiores dos que os disponíveis para cultivo no sul do Brasil. “O feijão carioca não é muito consumido no mercado catarinense, porém sua produção interessa aos agricultores do Estado porque atende à demanda dos consumidores de outras regiões, como São Paulo e Rio de Janeiro”, explica Sydney Antonio Frehner Kavalco, pesquisador em melhoramento vegetal do Centro de Pesquisa para a Agricultura Familiar (Epagri/Cepaf), em Chapecó.

Entre as vantagens do novo cultivar estão o bom desempenho agronômico, a estabilidade de produção e o rendimento industrial elevado. Nos ensaios realizados pela Epagri, ele revelou potencial produtivo de 4,2t/ha e rendimento médio de 3,4t/ha em Santa Catarina. O Riqueza também apresenta teor de proteína de 24,2% e tempo médio de cozimento de 21 minutos.

Para obter o cultivar foram necessários cerca de 15 anos de pesquisa, que envolveram cruzamento de genitores, seleção e identificação de linhagens superiores ao longo das safras. Esse trabalho também incluiu experimentos de Valor de Cultivo e Uso (VCU) em 29 ambientes dos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul entre 2010 e 2012. Nos testes, o feijão Riqueza apresentou desempenho agronômico 14% superior em relação às testemunhas utilizadas.

O novo cultivar da Epagri está registrado no Ministério da Agricultura e é recomendado para cultivo nas duas épocas de semeadura (safra e safrinha) nos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, de acordo com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A Epagri está buscando parceiros interessados em multiplicar as sementes, que serão disponibilizadas aos agricultores para plantio na safrinha de 2017 (janeiro/fevereiro).

O novo cultivar apresenta bom desempenho agronômico e produção estável

Genética para o campo

O cultivar é produto do Programa de Melhoramento Genético de Feijão da Epagri. Coordenado pela Epagri/Cepaf, o programa busca desenvolver, avaliar e difundir novos cultivares que contribuam para o aumento e a estabilidade da produção e da renda dos agricultores. “Em Santa Catarina, as etapas de avaliação de cultivares e linhagens sob diferentes condições edafoclimáticas são realizadas com a participação das Estações Experimentais da Epagri em Campos Novos, Canoinhas, Ituporanga e Urussanga, além do Centro de Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina”, conta o pesquisador Sydney.

A Epagri lançou há dois anos o cultivar de feijão SCS204 Predileto, que é do grupo comercial preto, também com alto potencial para o rendimento de grãos, com 23,5% de teor de proteína e tempo de cozimento de 18 minutos. A Empresa trabalha no desenvolvimento de cultivares dos grupos preto, carioca, branco e vermelho, que devem atender à demanda de consumo de determinadas regiões catarinenses e do Sul do Brasil.

Maior produtor

O Brasil é o terceiro maior produtor e o segundo maior consumidor de feijão do mundo, com área cultivada de 2,8 milhões de hectares e produção de 2,9 milhões de toneladas. A agricultura familiar é responsável por aproximadamente 70% da produção nacional. Em Santa Catarina, o cultivo ocorre em todas as regiões, com destaque para o Planalto Norte e Serrano na safra e para o Oeste e o Litoral Sul na safrinha.

Para mais informações sobre os cultivares SCS205 Riqueza e SCS204 Predileto, basta entrar em contato com a Epagri/Cepaf pelo telefone (49) 2049 7510 ou pelo e-mail cepaf@epagri.sc.gov.br.

(Publicado em Vol. 29, nº3, set./dez. 2016)