Ameixa resistente à escaldadura das folhas é lançada em SC

Colheita da Zafira ocorre durante as festas de fim de ano (Foto: EE Videira/Epagri)

A ameixa SCS 438 Zafira, resistente à escaldadura-das-folhas, doença que pode dizimar pomares inteiros, foi uma das novidades do evento de comemoração de 80 anos da Estação Experimental de Videira (EEV), no fim do ano passado. O cultivar lançado pela Epagri resulta do cruzamento de outras variedades de ameixa já produzidas em Santa Catarina. “A Zafira produz frutos com alta qualidade, atendendo as exigências do mercado. A colheita ocorre durante as festas de final de ano, quando existe maior demanda”, explica o pesquisador Marco Antonio Dalbó, responsável pelo desenvolvimento da tecnologia.

Os frutos da Zafira são de tamanho grande e coloração roxa. São muito semelhantes aos do cultivar Fortune, recomendado pela Epagri e já utilizado em Santa Catarina. É difícil distinguir uma da outra, mas existem diferenças no processo de maturação. A Zafira amadurece mais rápido após a colheita. “Dessa forma, o consumidor corre menos risco de comprar frutas verdes, porém com aparência de maduras, como ocorre com a Fortune”, explica Dalbó.

A floração ocorre entre 15 de agosto e 15 de novembro, dependendo do ano, e os frutos amadurecem em meados de dezembro. A floração ocorre num período intermediário entre os cultivares Fortune e Letícia, que são os mais plantados atualmente, e pode ser antecipada com produtos para quebra de dormência. Nesse caso, aumenta-se o risco de danos por geadas tardias, mas adianta-se o período de colheita, o que normalmente é desejável para o produtor.

A Zafira necessita de polinização cruzada. Por isso, recomenda-se o plantio com outros cultivares polinizadores, preferencialmente com as mesmas características de resistência à escaldadura, para que o pomar tenha boa durabilidade. A Epagri está selecionando produtores de mudas para que os fruticultores possam dar início aos seus pomares.

(Publicado em Vol. 30, nº1, jan./abr. 2017)