Epagri lança a pastagem SCS315 Catarina Gigante

O cultivar tem excelente aceitação pelo gado e aumenta a produção de leite e carne (Fotos: EECan/Epagri)

Os pecuaristas catarinenses ganharam uma nova opção de pasto perene que tem excelente aceitação pelo gado e aumenta de forma expressiva a produção de leite e de carne. É o SCS315 Catarina Gigante, cultivar desenvolvido pela Epagri a partir da pastagem missioneira-gigante. O material foi lançado em evento no campo experimental que a Empresa mantém na região de Canoinhas.

A Catarina Gigante é resultado de avaliações e seleções iniciadas pelos pesquisadores da Epagri em 1985. De lá para cá, os trabalhos foram conduzidos em conjunto pelas estações experimentais da Epagri em Canoinhas e Lages. Também coube à unidade de Canoinhas realizar os procedimentos burocráticos para registro do novo cultivar.

Pastagens perenes são aquelas que, uma vez plantadas, permanecem produtivas por muitos anos, desde que sejam bem manejadas, adubadas e adaptadas ao clima da região. A Catarina Gigante tem características que atendem necessidades específicas dos pecuaristas catarinenses: se adapta a diferentes condições de clima e de solo, pode ser cultivada em solos de média fertilidade, tem alta resistência ao frio e às geadas e dá excelente resposta na produção de leite e carne.  Além disso, é resistente à praga cigarrinha-das-pastagens.

30 anos de trabalho

O diretor de pesquisa da Epagri, Luiz Antonio Palladini, destacou a perseverança necessária à equipe para persistir numa pesquisa que se estendeu por 30 anos. “Agora podemos apresentar esse resultado, que vai melhorar todo o sistema produtivo de leite do Estado”, sentenciou. Para Edson Xavier, pesquisador aposentado da Epagri e um dos pioneiros nesse estudo, o lançamento foi um dia marcante para todos os profissionais que se envolveram no trabalho.

A pastagem se adapta a diferentes condições de clima e solo e tem alta resistência ao frio e às geadas

As pesquisas seguem. Vilmar Francisco Zardo, gerente da Estação Experimental da Epagri em Lages, conta que a unidade desenvolve agora um trabalho de biotecnologia para oferecer sementes da Catarina Gigante, facilitando sua multiplicação, que no momento se dá apenas por mudas.

Ana Lucia Hanisch é pesquisadora da Estação Experimental da Canoinhas responsável pelo trabalho na unidade e registro do novo cultivar. Ela relatou que já existem mais de 20 artigos científicos publicados sobre a Catarina Gigante no Brasil, no Uruguai e na Argentina e que a Epagri conta com uma unidade demonstrativa do novo cultivar em cada um dos seus centros de treinamento, o que permite ampla divulgação entre agricultores e no meio científico.

Esse trabalho da Epagri busca incrementar a cadeia produtiva da carne, mas principalmente do leite, um importante e tradicional produto da agricultura familiar catarinense. Os dados mais recentes, de 2015, revelam que, naquele ano, Santa Catarina produziu 3,05 bilhões de litros, 2,5% a mais do que em 2014.

A Epagri distribui gratuitamente mudas da SCS315 Catarina Gigante para os agricultores catarinenses. Quem tiver interesse deve procurar o escritório da Empresa em seu município.

(Publicado em Vol. 30, nº2, mai./ago. 2017)