Fundo de Desenvolvimento Rural aplica mais de R$70 milhões na economia catarinense

Produtores rurais têm acesso aos programas por meio da Epagri (Foto: Jonatan Jumes/Epagri)

A Secretaria da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina, por meio do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), aplicou mais de R$70 milhões na economia catarinense nos últimos quatro anos. São vários programas que apoiam os agricultores familiares no desenvolvimento de seus empreendimentos, com atenção especial aos jovens. “Todos os programas da secretaria que usam recurso do FDR são acessados pelos agricultores por meio da Epagri, que elabora os projetos, emite as autorizações e faz o acompanhamento técnico”, esclarece Célio Haverroth, coordenador de Políticas Públicas da Epagri.

O FDR é gerido pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural. “Esse conselho conta com representantes do governo do Estado e da sociedade, como cooperativas e sindicatos”, explica o coordenador da Epagri. Segundo ele, o fundo eventualmente recebe aportes do governo do Estado, mas se mantém basicamente com os pagamentos das parcelas dos programas financiados por ele.

Fomento geral

Um dos principais programas do FDR é o Fomento Geral. Só em 2017, ele financiou R$11.733.475,08 em créditos para 856 famílias de agricultores de todo o Estado. Esse recurso foi investido pelos produtores rurais na estruturação de suas propriedades, como construção de galpões, compra de equipamentos agrícolas, instalação de irrigação, estrutura para piscicultura, formação de pomares, compra de reprodutores e de matrizes leiteiras.

Kit Informática

O Kit Informática foi outro programa impulsionado pelos recursos do FDR. Nessa política pública, jovens rurais com idades entre 16 e 29 anos – a maioria participantes dos cursos de Gestão, Liderança e Empreendedorismo promovidos pela Epagri – recebem recurso para compra de notebooks e impressoras utilizados na modernização da gestão da propriedade.

Entre 2013 e 2017, o fundo financiou R$5.704.226,13 do programa, beneficiando 2.288 jovens. Eles têm três anos para pagar o empréstimo e recebem desconto de 50% nas parcelas pagas em dia. O ano de 2014 registrou o maior número de empréstimos no programa Kit Informática, no valor de R$2.150.114,87, atendendo 861 jovens.

Sementes de Milho

Em 2017, o programa Sementes de Milho beneficiou 50 mil agricultores. A iniciativa da Secretaria de Agricultura e da Pesca com apoio da Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro) permite ao agricultor adquirir semente de milho de qualidade, a baixo custo, e pagar o valor em equivalência de produto.

Kits Forrageiras e Apicultura

O Kit Forrageiras beneficiou 1.810 agricultores em 2017 com financiamento de insumos para a melhoria de pastagem, com assistência técnica da Epagri. Outros 414 produtores foram beneficiados no ano passado com o Kit Apicultura. Eles recebem financiamento para aquisição de colmeias e equipamentos para a atividade. Os dois programas preveem pagamento em dois anos, sendo que o agricultor ganha vantagens se quitar a dívida no primeiro ano.

Outros programas

Os programas Juro Zero, Irrigar e Armazenar subsidiam o pagamento de juros de empréstimos contraídos em bancos via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Foram pagos, no total R$3.734.932,41 em juros com dinheiro do FDR no ano passado, beneficiando 2.003 agricultores.

(Publicado em Vol. 31, nº3, set./dez. 2018)