Jovens pecuaristas comandam propriedades rurais em São Martinho

Ademar Sehnem Junior elevou a produção de leite de 300 para 750 litros por dia (Foto: Aires Mariga/Epagri)

Um grupo de 40 jovens está tomando a frente nas propriedades rurais de suas famílias em São Martinho, no Sul do Estado, e dando gás ao agronegócio do município. Eles são formados no Curso de Liderança, Gestão e Empreendedorismo oferecido desde 2012 na região pela Epagri com apoio do Programa SC Rural. As propriedades, que tinham baixos índices técnicos e econômicos, hoje atraem visitantes pelos seus resultados. A renda anual dessas famílias cresce em média 20% ao ano.

“O trabalho com os jovens de São Martinho começou devido à necessidade de capacitar os filhos de agricultores e pecuaristas para a sucessão familiar, com o intuito de aumentar a renda da família para que o jovem consiga permanecer na propriedade com perspectiva de prosperar na atividade”, conta o engenheiro-agrônomo Renan Honorato Fernandes, extensionista da Epagri no município.

Ademar Sehnem Junior é um dos maiores exemplos de que essa estratégia dá certo. Em apenas três anos, o jovem pecuarista elevou a produção de leite da propriedade de 300 para 750 litros por dia sem aumentar a área de pastagem, que tem 15 hectares, e a área de lavoura (3,6 hectares), usada para milho e forragem de inverno. O número de vacas em lactação subiu de 25 para 45.

As mudanças na propriedade da família começaram em 2013, quando Ademar ingressou no curso para jovens rurais no Centro de Treinamento da Epagri de Tubarão (Cetuba). “Encarei isso como uma oportunidade de aprofundar meu conhecimento. Foi um curso importante, bem dirigido para a propriedade leiteira e com muito conhecimento técnico. O enfoque em gestão foi significativo. Sempre coloquei em prática tudo o que captei de interessante e fui fazendo isso na propriedade”, conta o pecuarista, que agora também é engenheiro-agrônomo.

Lição de casa

Depois dos cursos, os participantes receberam apoio financeiro do Programa SC Rural para melhorar os sistemas produtivos nas propriedades e passaram a receber acompanhamento técnico e gerencial da Epagri. Ademar usou o aporte de R$30 mil para investir em irrigação de pastagens, captação de dejetos de animais, resfriador para o leite e uma roçadeira. “Melhoramos vários itens na propriedade, mas o destaque foi o manejo de pastagem, com adubação e irrigação”, diz. Ele também investiu em melhoria genética do rebanho, criação de bezerras, sistema de ordenha e sombreamento no pasto.

As melhorias no sistema produtivo impulsionaram os índices técnicos da propriedade da família Sehnem e a unidade se tornou referência na região de Tubarão. Hoje, eles recebem visitantes de todo o Estado que vão conhecer a produção de leite à base de pasto, os cuidados com as instalações, o manejo dos animais, o sistema de criação de bezerras, a organização da propriedade, o sombreamento de pastagens e o bem-estar animal.

“Desde 2015, a família vem sendo acompanhada mensalmente por meio de um modelo de gestão técnico e econômico da propriedade, com o intuito de melhorar ainda mais os índices produtivos, tendo sempre em vista o maior retorno econômico, com visão ambiental sustentável”, acrescenta o extensionista Renan.

O jovem Ademar assumiu a gestão da propriedade de 40 hectares onde mora com a esposa e os pais e já faz planos para ir mais longe: “Vamos investir ainda mais em irrigação, manejo de pastagem, genética e nutrição para alcançar 80 matrizes em lactação sem ampliar a área.”

(Publicado em Vol. 32, nº1, jan./abr. 2019)