Mecanização ajuda apicultores de Orleans a aumentar a produção

Mão-de-obra para extração de mel caiu 80% (Foto: Aires Mariga/Epagri)

A apicultura vai muito além do cuidado com as abelhas. Quando os favos de mel chegam à casa de extração, são necessárias várias operações, muitas delas manuais e repetitivas, até que o produto esteja devidamente envasado. Mas os membros da Associação de Apicultores de Orleans (Aapicor) conseguiram dar um upgrade que tornou essas tarefas muito mais eficientes.

Com ajuda da Epagri, eles aprovaram um projeto no Programa SC Rural para ampliar uma casa de extração e adquirir 18 equipamentos capazes de mecanizar as atividades. O projeto totalizou R$522 mil, dos quais R$260 mil vieram do SC Rural. Com tudo instalado, a mão de obra para extração de mel e manuseio de material apícola caiu cerca de 80%.

Hoje são duas casas equipadas com o que há de mais moderno para extração e embalagem de mel. Algumas máquinas foram desenvolvidas pelos próprios apicultores em parceria com os fabricantes. Essa estrutura beneficia 12 famílias das comunidades de Taipa, em Orleans, e Mar Grosso, em São Ludgero, que agora podem aumentar a produção. A associação responde por 25% do mel colhido na região.

Uma das casas de extração fica na propriedade de Fabrícia Wernke, vice-presidente da Aapicor. “A apicultura é uma atividade muito difícil de encontrar mão de obra. Com os equipamentos, essa necessidade reduziu muito. O trabalho de desoperculação, que era manual, foi totalmente automatizado”, conta. Fabrícia produz mel orgânico em parceria com o irmão. Eles têm mil colmeias distribuídas na região das encostas da Serra Geral e planejam ampliar a produção para 1,5 mil colmeias.

(Publicado em Vol. 32, nº1, jan./abr. 2019)